Dez anos de Brasão, como passa rápido

jrmonges10anos

Tenho um amigo virtual, facebook, que não me deixa esquecer mais as datas importantes e ainda me lembra de alguns momentos que foram destaque ou marcantes. Não sei como ele faz isso, acredito que deva ter um algorítimo que seleciona tais momentos com base em parâmetros que desconheço, mas o que importa nesse momento foi a recordação que ele me enviou.

Parece que foi ontem que fechei o meu Brasão e deixei de ser PP. Como ainda é vivo na memória todas as zoações e brincadeiras. Viagens, passeios e reuniões onde tudo de errado acontecia somente comigo e com a saudosa CB400 preta, que hoje reformada repousa tranquila na casa do meu irmão Evaldo.

Fui vendido pelo MC aos Abutres por 10 prestações sem juros, que na hora de fechar o negócio acharam melhor me devolver, afinal, PP não tem preço, é a escoria. Claro, que foi uma brincadeira saudável entre Zilmar e Rominho dos Monges com o irmão Durval dos Abutres. Para mim, era um sinal de que eu estava conquistando meu espaço, sendo aprovado pelos amigos e irmãos motociclistas.

Confesso que essa foi uma das melhores fases vividas dentro do MC, onde servir, respeitar, agradar, ser zoado e ter esportiva para piadas e brincadeiras em geral me fez ver que atrás das caras fechadas, vestimentas pretas, muitas vezes imundas e mal cheirosas, tinham pessoas de bem, que estavam ali para testar meu limite, para ver até onde eu conseguiria suportar a pressão, se eu realmente queria ser considerado um irmão ou pediria para sair.

O local escolhido para meu batizado foi o antigo point dos Garrotes, no bairro Santa Terezinha. As figuras mais marcantes da epoca para mim eram Timbal e Jamaica dos Garrotes, pelo respeito que sempre tiveram comigo. O grande mestre e amigo Serginho, na época ainda Abutre, fez a gentileza de consertar minha moto no point, para eu poder ir pra casa. Claro, no dia de ser escudado, ainda PP, minha moto tinha que quebrar, faz parte, era a despedida.

Os Monges de hoje não são mais os daquela época, longe disso, diria que aquela foi a nossa fase dourada, não tínhamos as responsabilidades de hoje, eramos somente 10 anos mais novos, começando nosso caminho na vida e nas estradas, escrevendo nossa história para hoje podermos lembrar com saudosismo sem qualquer tipo de constrangimento ou arrependimento.

Quanto coisa aconteceu. Amigos chegaram e outros se foram. Quase seguimos os passos dos dinossauros, a extinção esteve perto, mas nos reinventamos, nos fortalecemos e aqui estamos, juntos como amigos e irmãos, independente desse brasão que me orgulho tanto de carregar. É minha segunda pele, serei sempre Monges MC, é um fato.

Aos amigos que acompanharam essa jornada, com certeza irão se lembrar da nossas histórias e momentos. Agradeço a vocês por cada um deles e peço a Deus que possamos lembrar desses momentos por muitos anos e que possamos escrever muitos outros.

Ao facebook, agradeço demais por essa agradável recordação de hoje, valeu ter me lembrado, hoje por alguns momentos estou me sentindo 10 anos mais jovem, leve, livre e feliz pelas escolhas que fiz, talvez seja esse o verdadeiro encanto de se tornar um MOTOCICLISTA DE VERDADE, afinal, amamos o que é simples, a liberdade, estrada, amigos e família.

Que Deus me abençoe sempre e a vocês também.

Similar Posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Código de Segurança * Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.